Série Mulheres no Motocross: Íris Vieira

Por em 21 de dezembro de 2017
WhatsApp Image 2017-12-19 at 15.21.04

O Moto Clube Cassios Racing começa hoje uma série de entrevistas com as mulheres que sempre estão nas pistas dos nossos campeonatos. Elas entram forte e encaram qualquer desafio para seguirem os seus sonhos. Por isso mesmo são um exemplo para qualquer atleta e serão apresentadas aqui como uma fonte de inspirição para todos que querem seguir o caminho do motocross. Conheça abaixo a piloto do dia.

Nome: Íris Stefanie de Souza Vieira

Data de nascimento: 18/08/1998

Cidade: Conselheiro Lafaiete – MG

Quando e por que começou a andar de moto? Comecei a andar de moto aos 11 anos. Meu primo tinha uma moto de 50cc e eu andava nela, na pistinha que meu tio fez. Desde então, quando tinha corrida aqui na minha cidade, íamos assistir e aquilo era uma aventura fora do normal. Com isso, meu pai, que também adora moto e já participou de algumas corridas, comprou uma TT-R 125cc e começamos a andar, fazendo trilha. Em julho de 2013, o Bibo, organizador de eventos aqui em Conselheiro Lafaiete/MG, acrescentou uma categoria feminina ao evento, o que nos interessou e permitiu que a gente corresse sem grandes riscos, já que a MXF não oferecia tanto perigo em relação às corridas com os homens. Essa foi a nossa primeira corrida. Nunca havíamos andando em pista, e depois desse ocorrido, nunca mais largamos o motocross. Hoje tenho o patrocínio do CrossFit Conselheiro Lafaiete, que cuida do meu condicionamento físico, e o apoio do Alex Design BH, que me patrocinou com os gráficos da moto.

Qual moto você usa? Hoje eu piloto uma CRF 250r

Quem é o seu maior ídolo? Uma pessoa que eu sempre admirei, e estimulou o número que eu uso, é o Travis Pastrana, mas hoje sou fã também da Ami Houde.

Quais títulos você já conquistou? O título mais importante na minha carreira até hoje foi o de Campeã Mineira de Motocross em 2015, os outros são de campeonatos regionais amadores, como o da Copa Vidigal Premium, Copa Metropolitana de Motocross e Copa Grande BH de Motocross, todos em 2015.

Qual foi o momento mais importante da sua carreira como piloto? O momento mais importante na minha carreira como piloto foi no ano de 2015, em que minha pilotagem estava ótima e obtive muitos títulos, além de subir nos podiuns da Copa Minas.

O que você diria para uma mulher que quer começar no motocross? Diria que é um esporte viciante, que gera fortes emoções e une famílias e amigos. Todavia, vários dirão que esse esporte não é para mulheres, e se você ganhar de algum menino, bem capaz dele se sentir humilhado…situação chata. Mas não podemos abaixar a cabeça e aceitar as críticas feitas, porque mesmo diante de toda a dificuldade, tempo e dinheiro gasto, estar alinhada no gate, superar nossos medos e tentar melhorar a cada treino, e assim, sentir a adrenalina percorrer nosso sangue, sentir aquele frio na barriga, é a MELHOR COISA DO MUNDO! Então vá em frente e faça seu melhor.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>